segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Crítica de Anime: Kite: Liberator

Kite: Liberator é um OVA lançado em 2008, 10 anos após o controverso Kite original. Esse tem cenas violentas, mas nada de sexo, apenas nudez parcial, podendo ser assistido por menores de idade. É a história do Anjo da Morte, quase uma lenda urbana, uma assassina que mata com graça e violência os criminosos.


Monaka de dia é uma estudante gentil e atrapalhada, filha de um astronauta que há quatro anos está em uma estação espacial. E de noite trabalha em um café cosplay cheio de pervertidos, onde sua timidez a torna mais atraente ainda. E também caça abusadores de criança com uma pistola explosiva. Só isso já seria o suficiente para criar um anime interessante, mas resolveram colocar monstros espaciais mutados por culpa de um cientista ganancioso de uma mega-corporação que fez a comida espacial,os quais destruiram a estação espacial e manejaram ir para a Terra junto com os sobreviventes. Ainda há uma parte de comédia, com as colegas de trabalho e gerente tarado do café, e o interesse romântico de um galã inspetor policial pela menor de idade Monaka. Tudo isso em 50 minutos de duração.

Mas o pior não é o roteiro onde vários gêneros foram ineficazmente unificados, ou personagens caricatos e superficiais. O que me irritou em Kite: Liberator, inferior ao seu predecessor em quantidade de violência e em qualidade de história, foi o final. Após tocar-se da verdade (previsível, diga-se de passagem), Monaka encontra seu pai, abre a boca para falar... e aparecem os créditos. Sinceramente achei que estava vendo uma versão cortada pirata, mas comprei o DVD original  pela Amazon. Ou que ia ter um novo OVA, mas desde 2008 nunca comentaram que esse seria o OVA 1 de 2. Um desfecho frustrante para um anime mediano. 

Um comentário:

  1. que pena que voçẽ ficou frustada Ragged! por favor responda alguma coisa a mim!! Blog parou no tempo em 2011! felicidades a voçẽ e o Master!!eu o sempre Fã do Iniciativa,Marcos Punch.

    ResponderExcluir